Mostrando postagens com marcador Jornalismo. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Jornalismo. Mostrar todas as postagens

1º de Junho: Dia nacional da Imprensa


A Bíblia impressa por Johannes Gutenberg é o símbolo-chave na transição da história humana. O primeiro livro impresso na Europa está guardado em vários museus, o mais emblemático é o da Imprensa, em Mainz (Mongúncia), Alemanha. A invenção de Gutenberg, a prensa de tipos móveis, provocou uma revolução: a propagação do conhecimento para todos.
No Brasil, por força da lei nº 9.831, de 13 de setembro de 1999, o Dia da Imprensa é comemorado no dia 1º de junho, data em que começou a circular o jornal Correio Braziliense, fundado por Hipólito José da Costa, em 1808. O jornal circulava clandestinamente porque as publicações brasileiras eram proibidas pela Corte Portuguesa, temerosa de que os brasileiros fossem influenciados pelas ideias de liberdade, igualdade e fraternidade que circulavam pela Europa.

O pai da imprensa

Johannes Gensfleisch, conhecido como Johannes Gutenberg, nasceu a 24 de junho de 1397, na Mogúncia (Alemanha) e é considerado o criador do processo de impressão com tipos móveis, a tipografia. Gutenberg aprendeu a arte da precisão nos trabalhos em metal atuando junto com o pai e o tio na Casa da Moeda de sua cidade. Em 1428, fez as primeiras tentativas de imprimir com caracteres móveis. Em 1442 imprimiu, na sua prensa original, onze linhas em um pedaço de papel.


Prensa de Gutenberg: primeiros impressos foram a bulas de
indulgências concedidas pelo Papa Nicolau V
É atribuído a ele o mérito da invenção da prensa, não só pela ideia dos tipos móveis, como pelo aperfeiçoamento da prensa. Entre os primeiros impressos estavam várias edições do "Donato" e bulas de indulgências concedidas pelo Papa Nicolau V.
No início da década de 1450, Gutenberg iniciou a impressão da Bíblia, de 42 linhas em duas colunas.


Cada letra era feita à mão, e cada página era montada juntando-se as letras. Depois de prensada e seca, era feita a impressão no verso da página. Gutenberg teria imprimido trezentas folhas por dia, utilizando seis impressoras. A Bíblia têm 641 páginas, calcula-se que foram produzidas cerca de 300 cópias, das quais ainda existem aproximadamente 40. Nem todas as cópias são iguais, tendo algumas, no início de novos capítulos, letras pintadas à mão.

O robô “bios [bible]” transcreve a Bíblia sobre rolos de papel com o mesmo tipo
de caligrafia usado pelos monges copistas da época de Gutenberg